Descubra todas as oportunidades Tronik︎ Subscreva a Newsletter.︎

Tendências do UX em 2018 by InVision
11/01/2018

Tendências do UX em 2018 by InVision

O ano de 2017 foi de grande importância para o User Experience, com a personalização inteligente, a realidade virtual e a inteligência artificial a integrarem a área, e o surgimento de tecnologias disruptivas a acompanhar esta evolução.
 
Já o ano de 2018 irá ter um grande foco na acessibilidade, com a criação de produtos e experiências que podem fazer a diferença no dia a dia dos consumidores. O design user-friendly será, inclusivamente, a principal força por detrás da inovação e do sucesso empresarial.
 
Neste contexto a InVision, conhecida plataforma internacional de prototipagem, colaboração e workflow, apresentou 5 tendências do UX design para 2018, que partilhamos agora.
 
Engenharia de usabilidade
Em 2018 a usabilidade poderá chegar às massas: tecnologias disruptivas como o caso das assistentes de voz da Amazon (Alexa) e da Microsoft (Cortana), ou da Bitcoin, a moeda digital, passarão a ser adotadas em massa. Assim, os UX designers vão precisar de perceber mais do que design de experiência: de forma a poder criar experiências excecionais nestas plataformas disruptivas, e dada a tua natureza técnica, vão também necessitar de conhecimentos de código.
 
Foco no utilizador
Já não se revela suficiente vender apenas um produto ou serviço, as empresas têm agora de se aproximar e envolver com os consumidores. Tal terá de partir internamente de cada empresa, onde todos os seus elementos devem compreender o que é a experiência do consumidor e tudo o que envolve. Se isto não acontecer, as equipas de UX terão sempre uma grande barreira. Em 2018 prevê-se a mudança deste mindset interno, que poderá levar ao desenvolvimento de melhores produtos e ao rápido crescimento das empresas.
 
UI/UX
A versatilidade será cada vez mais necessária, pelo que os UX designers devem aumentar as suas skills e conhecimentos, também na área de User Interface. Como refere a InVision, e apesar das “inúmeras tentativas em desvendar as linhas entre UI e UX”, cerca de “66% dos anúncios de emprego para UX designers requerem competências de UI”. No entanto, poucos UX designers se sentem atualmente confortáveis em assumir o papel de “unicórnio UX/UI”. O que é que isto significa? Que os User Experience designers vão ter de enfrentar este grande desafio em 2018 e apostar na formação, adquirindo mais e novas competências.
 
Design e voz sem interface
O conceito do design sem interface tem-se tornado bastante popular, e é expectável que em 2018 cresça ainda mais. Um bom exemplo de UX “elimina pontos de fricção”: os ecrãs táteis substituíram os ratos, e a voz está aos poucos a acabar com a necessidade de usar as mãos e escrever. A Alexa e a Cortana (assistentes de voz da Amazon e Microsoft, respetivamente), surgem neste contexto, fazendo já parte integrante da vida de mais de 30 milhões de famílias.
 
UX Researcher
Surge um novo cargo e papel no mercado, distinto do UX designer: o UX Researcher. De um modo geral, a pesquisa faz parte do âmbito do UX design, contudo, dado o crescimento da importância do UX, cada vez mais empresas estão dispostas a investir em especialistas. Neste seguimento, vão surgir títulos mais específicos, e o UX Researcher irá representar um passo crucial no processo de User Experience Design.
 
O ano de 2018 promete ser um verdadeiro desafio para a área do UX, do qual vale a pena fazer parte!

Fonte
Tronik - Digital Recruitment Agency
Tronik - Digital Recruitment Agency

Conteúdo Relacionado